Watch Manuel Pedroso Marques

93722150 209056560394315 2698905118924865536 N.jpg

Em tempos de quarentenas e recolhimentos obrigatórios, recordamos episódios de resistentes que, no seu combate à ditadura, se viram sujeitos a confinamentos forçados.

Depois de participar no golpe de Beja, na noite de 31 de dezembro de 1961, Manuel Pedroso Marques, então capitão, entra na clandestinidade e procura refúgio em casa de amigos. Apesar de todas as dificuldades, requere asilo político na Embaixada do Brasil em Lisboa, onde se encontravam já cerca de duas dezenas de oposicionistas, alguns dos quais também envolvidos na revolta de Beja. Ao longo de aproximadamente três anos, Manuel Pedroso Marques ficou confinado à Embaixada brasileira, sendo, durante esse período, julgado à revelia e condenado a três anos de prisão devido ao seu envolvimento na referida revolta. Iludindo a segurança, consegue abandonar a embaixada e parte a salto para França onde obtém um salvo conduto para o Brasil, onde se junta à mulher e à filha de 5 anos, num longo exílio que terminará apenas com o 25 de abril de 1974.

Aqui lhe deixamos um excerto do testemunho de Manuel Pedroso Marques, recordando esses dias.

#aljube #semmemórianãoháfuturo #culturaemcasa


Ver artigo