Rua Serpa Pinto 16 de Outubro de 1918 – Rua da Leva da Morte Pelo Edital municipal de 07/09/1885, a Rua Nova…

Rua Serpa Pinto

16 de Outubro de 1918 – Rua da Leva da Morte

Pelo Edital municipal de 07/09/1885, a Rua Nova dos Mártires, que fora a quinhentista Rua do Saco (ou rua sem saída), foi designada com o nome do explorador africano Serpa Pinto.
Mas esta rua lembrava o dia 16 de Outubro de 1918, em que presos políticos anti-sidonistas foram mortos num tiroteio, acontecimento que ficou conhecido como Leva da Morte.
A ditadura militar de Sidónio Pais, instaurada pelo golpe de Estado de 5 de Dezembro de 1917, rapidamente desiludiu os que nela tinham depositado esperança. À miséria e fome que se vivia no país juntavam-se os tumultos, as revoltas, as greves e os levantamentos populares.

Uma revolução constitucionalista eclodiu em Coimbra no dia 12 de Outubro desse ano e o alferes Sidónio Pais, filho do Presidente, foi perseguido por toda a cidade. Tal revolta, mesmo não tendo grande repercussão a nível de Lisboa e do Porto, fez com que o governo, temendo uma ameaça generalizada de insurreição, decretasse o estado de sítio levando a que, em Lisboa, as prisões se enchessem, rapidamente, de presos políticos.
As prisões tornaram-se demasiado pequenas para tão grande número de prisioneiros, e tal levou a que, ao anoitecer do dia 16, se transferissem para os fortes de São Julião da Barra, Alto do Duque e Caxias, 153 presos, rodeados por 253 guardas, que saíram do Governo Civil.
A abrir este cortejo iam corneteiros e tambores e quando chegaram à Rua Vítor Córdon ouviu-se o disparo de um tiro; na confusão, os guardas descarregaram em todas as direcções, fazendo mortos e feridos entre os prisioneiros e guardas.
No dia seguinte, o governo responsabilizava um dos presos, o Visconde da Ribeira Brava, que, supostamente, teria disparado sobre os guardas, mas a arma nunca chegou a ser encontrada.
Na verdade, a ideia com que o povo ficou foi a de um massacre preparado em que a presença das cornetas e tambores teria sido o sinal para o ataque.
Em 1924 passou a chamar-se Rua da Leva da Morte, mais tarde Rua 16 de Outubro.
Em 1937 o Estado, numa tentativa de apagar esta memória mudou, novamente, o nome para Rua Serpa Pinto.

Hilda Frias

Rua Serpa Pinto em 1918, no troço que viria a ser a Rua 16 de Outubro
(Joshua Benoliel, Arquivo Municipal de Lisboa)
Documento PT/AMLSB/CMLSBAH/PCSP/004/JBN/001496; Página 1

Referências:
arquivomunicipal.cm-lisboa.pt
Documento PT/AMLSB/CMLSBAH/PCSP/004/JBN/001496; Página 1
Rua 16 de Outubro, o dia da Leva da Morte, que hoje é Serpa Pinto | Toponímia de Lisboa (wordpress.com)
Fundação Mário Soares | Index (fmsoares.pt)


Ver artigo