Lisboa Green Capital 2020 | Um itinerário pela iconografia botânica Sabia que a representação da tamareira na…

109991463 10156391167687609 8872833566139530578 O.jpg

Lisboa Green Capital 2020 | Um itinerário pela iconografia botânica

Sabia que a representação da tamareira na «Fuga para o Egito», uma pintura do «Retábulo do Paraíso», alude a episódios concretos da história sagrada? No Evangelho de S.Mateus conta-se que a Sagrada Família, graças ao aviso de um anjo que apareceu em sonhos a São José, foge para o Egito para escapar à perseguição de Herodes.

Segundo os Evangelhos Apócrifos, terá sido durante um momento de repouso nessa viagem que, a pedido de Jesus, uma tamareira se curvou para oferecer os seus frutos.Os anjos que parecem recolher alguns dos ramos da árvore remetem ainda para uma outra passagem dos Apócrifos, que aponta essa mesma tamareira como origem das palmas entregues aos Santos, no Paraíso.

Associando-se à Lisboa Capital Verde Europeia 2020, o MNAA apresenta um itinerário pela iconografia botânica da sua coleção, dando a conhecer as espécies mais representadas e o seu significado simbólico, muitas vezes oculto para o visitante do século XXI.

Visite-nos e descubra as cerca de 100 espécies botânicas identificadas neste itinerário. Até breve!

Gregório Lopes (ativo 1513-†1550), atribuído e (Jorge Leal ?)
«Retábulo do Paraíso: Fuga para o Egito»
1523 (?)
Óleo sobre madeira de carvalho
Proveniência: Ermida de Nossa Senhora do Paraíso, Lisboa (Retábulo do Altar-Mor)
MNAA, Inv.14 Pint

#MNAA #LisboaCapitalVerdeEuropeia2020 #UmItinerárioPelaIconografiaBotânica



Ver artigo