HISTÓRIAS DO BAIRRO Da Baixa Pombalina ao Chiado elegante A Livraria Gomes, no Chiado, e o primeiro sucesso …

HISTÓRIAS DO BAIRRO
Da Baixa Pombalina ao Chiado elegante

A Livraria Gomes, no Chiado, e o primeiro sucesso de Columbano Bordalo Pinheiro
IV
A exposição de Columbano, na Livraria Gomes, em 1894, no Chiado, muito frequentada, foi visitada pela Rainha D. Maria Pia, o Duque de Loulé, o rei D. Fernando II, a Condessa d’Edla, os Condes de Arnoso e Sabugosa, os Valença, os Foz, os Pindela, e as famílias elegantes de Lisboa, os que andavam habitualmente pelo Chiado e os que raramente o visitavam…
Gerou polémica no meio, sobretudo entre a Casa Havaneza e esta elegante livraria, que apresentava obras originais e modernas. O Retrato de Antero de Quental, figura espectral, destacava-se nos 17 retratos expostos, de enquadramentos tão seriados que lembravam os retratos dos ateliers fotográficos, em estilo de “carte visite”, embora numa escala dimensionada para os 70 cm. Envolveu esta mostra um fenómeno mediático que muito projectou a Livraria Gomes. As notas críticas saíam nos jornais mais conhecidos, como O Século, A Tarde, Novidades, Universal, Jornal do Comércio. Columbano recebeu cartas de felicitação por este evento, dos artistas Simões de Almeida, Veloso Salgado, José Malhoa, e apesar de estarem em Paris, também Carlos Reis, Adolfo Benarus e Jaime Verde se congratularam com este grande acontecimento, na Livraria Gomes, Rua Garrett.
Este primeiro grande sucesso de Columbano, a exposição individual na Livraria Gomes, confirmava os seus objectivos de retratista, propostos na pintura, de grandes dimensões, da geração naturalista, o Grupo do Leão, em 1885. Este acontecimento definia os seus propósitos, e colocava-o como figura central, na representação da intelectualidade portuguesa.
Maria de Aires Silveira

Columbano Bordalo Pinheiro (1857-1929),
Retrato de Antero de Quental,
1889,
Col. MNAC.


Ver artigo