Fototeca do CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA do MUSEU NOGUEIRA DA SILVA/UM (Propriedade do arquivo Rocha …

107514332 3273251619392695 1793529911720148099 O.jpg

Fototeca do CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA do MUSEU NOGUEIRA DA SILVA/UM
http://www.mns.uminho.pt/fototeca/midle.html

(Propriedade do arquivo Rocha Peixoto: Biblioteca Pública de Braga/UM)

ROCHA PEIXOTO

Breve nota biográfica
ROCHA PEIXOTO (António Augusto da) Rocha Pexoto) (1866/1909) nasceu na Póvoa de Varzim a 18 de Maio de 1866, no prédio n." 20, da antiga Rua da Silveira, atual Rua Rocha Peixoto.
No Porto frequentou a Academia Politécnica, onde se destacou como naturalista e organizador das secções de Mineralogia, Geologia e Paleontologia. Coo-fundador da Revista de Ciências Naturais e Sociais e da revista Portugália, publicação pioneira nas áreas de Etnografia, Antropologia e Arqueologia. Foi ainda secretário da Revista de Portugal, fundada por Eça de Oueiroz.
Exerceu funções como professor na Escola Industrial do Infante D. Henrique, bibliotecário no Ateneu Comercial e desenvolveu um intenso trabalho como diretor da Biblioteca Pública e do Museu Municipal do Porto.
Homem de saber eclético, Rocha Peixoto foi uma das figuras mais marcantes da vida cultural portuguesa dos finais de oitocentos e início do século XX. A sua vasta obra como naturalista, etnólogo e arqueólogo seduziu os seus contemporâneos e continua a Influenciar os trabalhos científicos atuais. À Póvoa de Varzim dedicou trabalhos sobre os pescadores, as escavações da Cividade de Terroso e do Castro de Laúndos, a naturalidade de Eça de Oueiroz e incentivou o estudo da comunidade e património locais.
Faleceu em Matosinhos, a 2 de Maio de 1909, com 42 anos de idade.
A colaboração de Rocha Peixoto na imprensa local e nacional foi intensa e diversificada. A primeira edição da Terra Portuguesa, publicada em 1897, foi o resultado da seleção de 26 artigos publicados no jornal portuense O Primeiro de Janeiro, dedicados à Economia ao Ensino, às Ciências e à Cultura Portuguesa.

Primo de Manuel Monteiro (1879/1952), partilhou com ele muitas das idas ao campo.

Data e tipo de aquisição do fundo:
Depósito da Biblioteca Pública de Braga na década de 80.

Dimensão:
293 negativos de vidro (13×18)

Breve descrição do conteúdo do núcleo documental:
Imagens sobre o modo de viver das populações rurais e serranas: habitações, vestuário, utensílios, trabalho…, numa perspetiva antropológica.





Ver artigo