As coleções etnográficas do Museu Nacional de Arqueologia, refletem na sua origem, constituição e organização,…

As coleções etnográficas do Museu Nacional de Arqueologia, refletem na sua origem, constituição e organização, a própria história do Museu que no seu conceito fundacional se designou, ainda que por breves anos, por Museu Etnográfico Português, muito embora a componente arqueológica tivesse sido dominante desde o início. E se, no programa inicial de 1893-1894, se haviam consagrado apenas duas secções – a Arqueológica e a Moderna – uma terceira é muito precocemente acrescentada – a de Antropologia Física.
A riqueza e diversidade das Coleções Etnográficas oriundas maioritariamente do território português – continental e insular, mas também das antigas ex-colónias, é bem patente nos sucessivos programas museológicos do Museu de José Leite de Vasconcelos, onde foram ganhando protagonismo crescente e permitiram cumprir o mais elevado e ansiado propósito do Fundador, o da criação de um “Museu do Homem Português”.

Comemorando o Dia dos Namorados, o MNA apresenta um Lenço de Namorados, da sua pequena, mas interessante coleção de Têxteis. Com o Nº de Inventário ETNO 7028, está disponível on-line através do programa MatrizNet, tendo integrado a exposição “O Ponto de Cruz – a grande encruzilhada do Imaginário” realizada pelo Museu de Arte Popular em 1998.
Trata-se de um lenço em tecido de algodão branco, bordado a ponto de cruz com fios de cores vermelha e azul.

Apresenta ao centro e nos quatro cantos flores e elementos geométricos estilizados, de simbologia amorosa: custódias, cruzes, par de namorados, pombas, cão.


Ver artigo